Modo retrato: saiba como funciona o recurso que virou febre no celular

O modo retrato permite que a fotografia tenha um efeito desfocado. Por meio desta técnica o objeto no centro da foto fica em destaque.

Hoje, a maior parte dos dispositivos, desde os intermediários e as versões premium, possuem esta função. O recurso possui diversos nomes, como o modo de retrato, bokeh, blur, foco dinâmico, efeito de profundidade e etc.

No geral, a função deixa as imagens bastante sofisticadas e garante um efeito interessante para as fotos. Entre os aparelhos que oferecem a função estão iPhone XR e XS, Google Pixel 3 e 3 XL, Motorola One e Galaxy Note 9.

Todos estes dispositivos reproduzem o efeito e permitem que as imagens tenham aspecto profissional. Para entender um pouco acompanhe as informações a seguir.

 

Entenda o efeito modo retrato

Para criar o efeito de desfocado, o principal desafio é diferenciar o assunto principal da foto do fundo. Câmeras DSLR e mirrorless conseguem desenvolver um melhor trabalho. Nesses equipamentos, o tamanho do sensor e da abertura das lentes influenciam a intensidade do fundo desfocado. Abertura e sensor grandes estão associados à capacidade de focar em uma área mais próxima, ou seja, permitem um campo de profundidade raso.

Já os smartphones possuem um espaço muito limitado. Além disso, a abertura da lente é fixa na maioria dos celulares o sensor tem que ser pequeno, além de ficar perto da lente.

Para lidar com isto e permitir o modo retrato, os aparelhos usam algumas técnicas. Uma forma popular é combinar duas câmeras com variações de funcionamento. No entanto, alguns telefones com apenas uma câmera conseguem realizar o trabalho por meio do software. Em outros, o infravermelho pode ser a alternativa.

 

Câmera dupla

Modo retrato: saiba como funciona o recurso que virou febre no celular

A função por meio da câmera dupla funciona do seguinte modo:

Assim como as imagens de nossos dois olhos combinadas criam um senso de profundidade, as duas câmeras também. Devido ao posicionamento distinto de cada lente ocorre a captura destas imagens que serve para identificar a distância dos elementos. Ou seja, se algo está perto, garante uma disparidade na posição vista pelas câmeras.

Todo este processo é analisado e cria uma profundidade, logo o algoritmo aplica o desfoque no que deve ser identificado em segundo plano.

No geral, os smartphones que usam a câmera dupla, também utilizam outras técnicas para finalizar esse efeito de profundidade.

Alguns telefones possuem um blur progressivo que faz com que o objeto perca o foco de forma gradual. Outros ainda deixam que o usuário ajuste o nível de desfoque antes e/ou depois do clique.

Nos modelos mais baratos com câmera de resolução mais baixa o objetivo é mapear a profundidade. Recentemente alguns aparelhos foram lançados com três e até quatro câmeras, como o Galaxy A9, assim possuem somente um sensor para captar a profundidade.

 

Outras formas do modo retrato

Para o celular com uma câmera este trabalho pode ser feito por meio do software. Por exemplo, o Google se mostrou eficaz com o Pixel 3.

O aparelho usa um foco automático dual pixel para ver a imagem e assunto mais distante. Cada pixel é feito de dois fotodiodos, na qual detecta luz e permite distinguir a luminosidade da direita e esquerda. Como consequência cria duas fotos desiguais.

Com o tamanho de diferença, o mapeamento da profundidade não é eficiente, por isto o aparelho recorre à inteligência artificial para ter um resultado. Na câmera frontal do Pixel 3 (sem dual pixel) o efeito ocorre com software que consegue reconhecer pessoas e animais.

Outro exemplo é o iPhone XR que possui uma câmera traseira que utiliza a tecnologia dual pixel junto da inteligência artificial. Mas o aparelho da Apple fotografa com efeito bokeh, somente pessoas, não objetos e animais.

Mas a câmera frontal do Iphone X possui sensor True Depth, que possui reconhecimento facial e destrava a tela do aparelho. Este sistema de infravermelho consegue projetar 30 mil pontos de luz, traça um mapa tridimensional na qual consegue fazer a selfie, identificando a imagem e borrando o fundo.

É preciso lembrar que nem todos os aparelhos conseguem tirar uma fotografia com efeito modo retrato. Alguns possuem dificuldade em delinear o primeiro plano devido ao contorno da imagem. Assim como o efeito não é ótico o desfoque acontece como um “palpite” por isto pode causar recortes mais artificiais e não muito precisos.