No último mês de agosto, foi anunciada a expansão do suporte de autorreparo para MacBook. Através do serviço, os próprios usuários poderão fazer, em casa, a manutenção de seus aparelhos

A função, que já havia sido apresentada nos iPhones, foi apresentada primeiramente para os clientes dos Estados Unidos. Atualmente, ela pode ser acessada em países na Europa e em outras regiões, como o próprio Brasil. 

Continue a leitura e saiba mais detalhes sobre a nova modalidade de reparo da Apple

Como funciona o autorreparo

Os dispositivos da Apple são conhecidos por suas peças exclusivas, que só podem ser usadas em aparelhos da própria marca. Isso não se limita apenas a carregadores, cabos e acessórios, mas também a ferramentas de reparo. 

Em 2019, no Brasil e no exterior, o movimento Right to Repair, ou “direito ao reparo”, em portugues, pressionou a marca a facilitar a manutenção dos equipamentos por parte dos usuários.

Desde a fundação da empresa, o acesso às peças originais por parte de oficinas independentes é dificultado. A abertura do iPhone, por exemplo, é feita com uma chave específica, que – até então – só era encontrada em assistências técnicas especializadas e autorizadas. 

O programa de autorreparo, ou Self Repair, mudou um pouco essa lógica ao disponibilizar kits de reparo para que os usuários possam comprar ou até mesmo alugar. O valor das peças é o mesmo cobrado para serviços de terceiros. Uma placa de áudio custa, em média, 12 dólares, enquanto a placa mãe de um MacBook pode chegar a 580 dólares. 

O aluguel das ferramentas sai por 49 dólares, e o usuário pode utilizá-las por uma semana, antes de devolvê-las à Apple. Em alguns casos, o cliente pode receber um crédito de reciclagem, se enviar peças usadas após fazer o reparo. 

Vale ressaltar que o autorreparo feito em casa não anula a garantia do dispositivo, a não ser que ele seja danificado durante o processo. Todos os componentes do kit são originais e aprovados pela marca e, para garantir o funcionamento adequado e evitar prejuízos, é fundamental seguir as instruções passo-a-passo, que vêm junto com as peças. 

Aparelhos compatíveis com o serviço

Atualmente, os telefones qualificados para o programa de autorreparo são o iPhone SE terceira geração, todas as versões do iPhone 12 e todos os aparelhos da família iPhone 13. Em relação aos computadores, estão disponíveis os autorreparos para MacBook Air e MacBook Pro com os chips M1.

No serviço de Self Repair, podem ser substituídos os visores, as câmeras, o alto-falante e a bateria.  Cada peça tem um preço diferente, e é preciso entrar em contato com a Apple para verificar a disponibilidade para o seu aparelho.

Se você tem um MacBook que conta com a possibilidade de autorreparo e quer testar o serviço, siga as dicas que vamos mostrar agora:

  1. Antes de tudo, confira o manual do dispositivo. Você precisará do número do registro para fazer o pedido de conserto;
  2. Acesse a página oficial de reparo da Apple para solicitar o reparo;
  3. Selecione o tópico do problema e siga as instruções da empresa;
  4. Adicione os componentes que você vai precisar ao carrinho e escolha a modalidade de entrega das ferramentas, ou seja, se você irá comprá-las ou alugá-las;
  5. Realize o pagamento e aguarde a chegada dos artigos em sua casa; 
  6. Assim que as peças forem entregues, confira se todas as ferramentas necessárias vieram na caixa;
  7. Leia atentamente o manual de reparo que vem junto com o pedido e siga todos os passos com exatidão. 

Caso não se sinta seguro para realizar o autorreparo para MacBook, sugerimos que procure uma assistência técnica, como a da Reparofone. Todos os serviços têm garantia de 90 dias! Entre em contato com nossa equipe e solicite um orçamento gratuitamente.

Reparofone: repare o seu celular com a maior assistência multimarcas do Brasil